Stregheria,Stregoneria ou Bruxaria Italiana são os nomes dados a Velha Religião ( Vecchia Religione) da região da Itália. Culto Pagão com origens nos velhos Mistérios Etruscos e Egeus. A Stregheria é uma Religião que é formada por diversos Clãs. (Tradições ou Familias), na maioria segue uma linhagem Hereditária e Oculta. O culto Streghe é diverso, mas segue principalmente os ensinamentos da Prima Streghe( Arádia ou Heródia).
A Deusa Diana e o Deus Cornifero Dianus Lucifero.

Total de visualizações de página

Bruxo Callegari - TV Espelho Mágico

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Ran (Rahana) - A Rainha do Mar - Deusa Nórdica do Mar

                             Ran (Rahana) - A Rainha do Mar - Deusa Nórdica do Mar.

 Ran era também a rainha das ondinas e das sereias, reverenciadas por seu poder mágico e profético e admirada por sua beleza, seu talento musical e o dom de sedução. ela era a protetora das moças e das mulheres solteiras, mas também a padroeira dos afogados , portando, uma deusa da morte.
Ran era descrita como uma mulher forte, com cabelos de algas marinhas e colares de ouro e que segurava, com uma das mãos, o leme do barco, e com a outra, recolhia, em sua rede mágica, os afogados, levando-os depois para seu reino encantado no fundo do mar, para além do redemoinho do Mar do Norte. Se os mortos flevassem ouro consigo, eram tratados com muitas regalias, por isso os marinheiros colocavam sempre pepitas ou moedas de ouro (o ouro era denominado “A chama do mar”) em seus bolsos, antes de viajar, para garantir a boa acolhida nos salões de Ran. Como havia a crença de que os afogados recebiam de Ran a permissão para assistir seus enterros, as famílias acreditavam que, se vissem seus fantasmas no sepultamento, isso significava que eles estavam bem, sob os cuidados da Deusa, em seu palácio, mas faustoso.
O mar, que era chamado de “O caminho de Ran”, tinha um regente masculino também, o deus Aegir, marido de ran, com o qual ela teve nove filhas, as Donzelas das Ondas. Assim como a mãe, as filhas podiam aparecer em forma de sereias, que se aproximavam nos meses frios de inverno das fogueiras dos acampamentos dos pescadores e assumiam corpos e trajes de mulheres para seduzir os homens. Após fazerem amor com eles, as sereias sumiam e os homens adoeciam de tristeza e saudade, definhando até a morte.
Elementos: água.Animais totêmicos: gaivota, ganso.Cores: verde, azul, branco, preto.Plantas: algas marihas.Pedras: corais, água-marinha, serpentinha, espato azul.Datas de celebração: 23/07.Símbolos: barco, rede, ondas, redemoinhos, mares, sereias, moedas de ouro, medo (do mar, das profundezas, do desconhecido), inconsciente (pessoal, coletivo).Runas: Raidho, Isa, Nauthiz, Peorth, Laguz, Yr, Ior, Ear, calc.Rituais: proteção nas viagens marítimas, para acalmar as tempestades, diminuir o enjôo, para vender o medo de água; práticas oraculares (vidência na água).Palavras-chave: profundezas.



Texto: Mirela Faur " Mistérios Nórdicos"




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos

Loading...