Stregheria,Stregoneria ou Bruxaria Italiana são os nomes dados a Velha Religião ( Vecchia Religione) da região da Itália. Culto Pagão com origens nos velhos Mistérios Etruscos e Egeus. A Stregheria é uma Religião que é formada por diversos Clãs. (Tradições ou Familias), na maioria segue uma linhagem Hereditária e Oculta. O culto Streghe é diverso, mas segue principalmente os ensinamentos da Prima Streghe( Arádia ou Heródia).
A Deusa Diana e o Deus Cornifero Dianus Lucifero.

Total de visualizações de página

Bruxo Callegari - TV Espelho Mágico

sábado, 23 de julho de 2011

Ártemis - Diana

Ártemis do latim Diana, é filha de Zeus e Latona, e irmã gêmea de Febo (Apolo), essa dinvidade nasceu na ilha de Delos é a personificação da pureza e da castidade, considerada protetora dos jovens e das donzelas que conservam a inocência e virgindade. Sua mãe, ao ficar grávida, despertou a ira de Hera, esposa de Znenhum eus, e por isso foi perseguida por ela de tal forma que quando aproximou-se a época do parto lugar aceirava recebe-la , temendo a vingança da deusa Hera. Somente na ilha de Delos, Latona consegui abrigar-se para dar a luz aos gêmeos que esperava, porém como Lífia, deusa dos partos e filha de Hera, foi detida no Olimpo, Latona ficou sozinha em Delos. Ártemis foi a primeira a nascer ajudando seu irmão, Apolo a sair do ventre materno.

Testemunha das dores sofridas pela mãe no momento do parto, Ártemis desenvolveu em razão grande aversão pelo casamento, obtendo de seu pai (Zeus) permissão para nunca casar-se permanecendo assim casta (virgem).Essa foi a razão pela qual Zeus a concedeu uma comitiva de sesenta ninfas do mar (Oceanias, filhas do Oceano e de Tétis, segundo Hesíodo em número são três mil) e mais vinte ninfas terrestres chamadas de Ásias (dinvidades dos bosques, dos montes e dos rios, que personificam determinadas forças naturais, em início o princípio úmido dos rios, das fontes, etc.).

Ártemis ou Diana, deusa da caça, é a mais pura das dinvidades, sempre foi uma fonte de inspiração inesgotável dos artistas. Ela é, ao mesmo tempo, nobre e bela, severa e elegante, ofuscando com sua presença todas as ninfas que compõe seu séquito. Adorada também como Potêmia, nas proximidades das fontes e dos rios, recebe uma veneração especial por parte dos camponeses, que a considera dinvidade protetora dos campos, favorecendo a multiplicação das espécies vegetais e animais. Seu pai a presenteou com arcos e flechas de prata, além de uma lira tambem de prata, tudo obra de Hefesto (Vulcano) o deus do fogo e das forjas, que sendo um dos inúmeros filhos de Zeus é tambem irmão de Ártemis.

Era costume da deusa Ártemis banhar-se nas águas cristalinhas das fontes. Certa vez enquanto banhava-se, foi surpreendida pelo caçador Acteon que passava por acaso com seus cães pelas redondezas e para ali dirigiu-se para saciar sua sede. Por isso foi transformado em um viado (cervo) e acabou sendo vitimado por sua própria mantilha. Uma outra lenda conta que tendo Ártemis apaixonado-se pelo jovem Orion, decidiu casar-se com ele apesar do voto de castridade que havia feito. Porém seu irmão, Apolo, impediu esse enlance praticando uma grande perfídia: como estava com ela em uma praia desafiou a a flechar um ponto negro, distante em baixo da água. Ártemis prontamente retesou o arco e atingiu o alvo, que afundou deixando espuma ensanguentadas na superfície do mar. Era Orion que ali nadava. Ao saber do desastre, Ártemis, cheia de desespero consegui , do pai, que transformasse o amado em constelação.
 Na mitologia, Ártemis é considerada uma caçadora infatigável, é a deusa dos animais selvagens e da caça, bem como dos animais domésticos, isso explica o motivo pelo qual é cultuada em templos rústicos no meio das florestas onde os caçadores oferecem a ela sacrifícios. Assim como Febo (Apolo), seu irmão, a deusa tem diferentes nomes: na Terra é Ártemis ou Diana; no Céu, é chamada de Lua; nos Infernos, é chamada Hécate. Dessa forma as duas divindades irmãs tem funções aparentemente gêmeas (a de clarear o mundo, iluminá-lo), porque quando Febo desaparecia no hirizonte conduzindo seu carro do Sol, Ártemis, a Lua, resplandecia nos céus.



O mais famoso santuário de Ártemis ficava em Éfeso. Considerado uma das sete maravilhas do mundo, ele foi incendiado duas vezes: na primeira, as Amazonas foram as responsáveis, e na segunda vez em 356 a.C., por Erostrato, um incendiário grego que pretendia perpetuar o seu nome na história. O templo foi definitivamente destruído em 263 a.C., duranre o império de Galeano. Outro santuário afamado ficava no bosque junto ao lago Nemi, perto de Arícia. Pela tradição, o sacerdote devia ser um escravo fugitivo que matasse o antecessor em combate. Em Roma, o seu mais importante templo localizava-se no monte Aventino e teria sido construído pelo rei Servius Tulius no século VI a. C. Festejam-na nos idos (dia 13) de agosto.

É representada, como caçadora que é, vestida de túnica, calçando coturno e trazendo consigo a aljava sobre a espádua, com um arco na mão e um cão ao seu lado. Outras vezes ela é vista acompanhada de suas ninfas, tendo a fronte ornada de um crescente. Ela também é mostrada ora no banho, ora em atitudes de repouso, recostada a um veado, acompanhada de dois cães; ou então em um carro puxado por corças, mas trazendo sempre o seu arco e aljava cheia de flechas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos

Loading...