Stregheria,Stregoneria ou Bruxaria Italiana são os nomes dados a Velha Religião ( Vecchia Religione) da região da Itália. Culto Pagão com origens nos velhos Mistérios Etruscos e Egeus. A Stregheria é uma Religião que é formada por diversos Clãs. (Tradições ou Familias), na maioria segue uma linhagem Hereditária e Oculta. O culto Streghe é diverso, mas segue principalmente os ensinamentos da Prima Streghe( Arádia ou Heródia).
A Deusa Diana e o Deus Cornifero Dianus Lucifero.

Total de visualizações de página

Bruxo Callegari - TV Espelho Mágico

quarta-feira, 19 de março de 2008

Ymir - O Deus Gigante de Gelo


De acordo com a mitologia nórdica, no início, antes do despertar dos deuses, havia apenas um grande precipício vazio chamado Ginnungagap.


Ao norte do vazio estava a região de névoa e gelo chamada Nifleheim, e ao sul a região de fogo Muspelheim. 
No meio de Nifleheim corre Hvergelmir, uma cascata de onde saem onze rios conhecidos coletivamente como Elivagar. 
Conforme estes afastavam-se de sua fonte até as bordas do Ginnungagap, o frio congelou suas águas e vapores transformando-os em gelo e neve.

Quando as labaredas de Muspelheim encontraram-se com os Elivagar, o calor derreteu o gelo e formou um grande gigante de gelo, Ymir. Enquanto ele dormia, o suor de seu corpo formou o primeiro de sua prole de gigantes de gelo glacial.

Tempos mais tarde, o derretimento do gelo criou uma vaca deusa chamada Audhumbla, e de seu ubere corriam quatro rios de leite, de onde se alimentavam Ymir e seus filhos. Para se alimentar, a vaca lambia as pedras de gelo salgado, e após três dias ela descobriu no gelo um homem forte e esbelto chamado Buri.

Buri casou-se com uma das filhas de Ymir e teve um filho, Bor, que teve três filhos com outra donzela gelada, chamados Odin, Vili e Ve, os primeiros Aesires.

Logo que os gigantes tornaram-se cientes dos deuses eles começaram uma guerra, que acabou quando os três deuses mataram Ymir, cujo sangue afogou todos os gigantes de gelo exceto Bergelmir, do qual teve origem uma nova raça de gigantes de gelo.

 Odin e seus irmãos carregaram o corpo de Ymir para fora do Ginnungagap e fizeram a Terra de seu corpo e as rochas de seus ossos.
Pedras e cascalho originaram-se dos dentes e ossos esmigalhados do gigante morto, e seu sangue preencheu o Ginnungagap, dando origem aos lagos e mares. A abóbada celeste foi formada de seu crânio esfacelado. 
Dos parasitas do corpo de Ymir, eles criaram os anões, e quatro anões chamados Nordri, Sudri, Austri e Vestri sustentam o crânio de Ymir. 

Do cabelo de Ymir formou-se a flora, e de seu cérebro originaram-se as nuvens. Tições de Muspelheim foram colocados no céu, e assim surgiram as estrelas
A Terra era um grande círculo rodeado pelo oceano, e os deuses haviam construído uma grande muralha a partir das pestanas de Ymir, que circundavam este local que eles nomearam Midgard. Uma enorme serpente chamada Jormungard, a Serpente de Midgard, rodeia toda a extensão do círculo da Terra, devorando qualquer homem que queira sair de Midgard.

 Após isso, Odin e seus irmãos criaram o lar dos deuses, Asgard a Cidade Dourada. Em seguida Odin criou mais deuses, os Aesires, para povoar Asgard. 


Um outro grupo de deuses, os Vanires, surgiu exatamente antes ou após os Aesires. Suas origens são muito misteriosas, mas eles parecem povoar Vanaheim, uma terra próxima de Asgard
Os Aesires são claramente deuses da guerra e do destino, enquanto os Vanires aparentam ser deuses de fertilidade e prosperidade


Por um longo tempo uma terrível guerra ocorreu entre estas duas raças divinas, causada pelo rapto de uma Vanir, Gullveig, que guardava o segredo de criar riquezas, fato este que atiçou a cobiça dos Aesires. Nenhum dos lados parecia próximo de alcançar a vitória. 
A paz foi finalmente arranjada quando os dois grupos concordaram em trocar reféns.

Os Vanires mandaram Njord e seus filhos gêmeos Frey e Freya para viver com os Aesires, e estes mandaram Hoenir, um homem grande que eles disseram ser um de seus melhores líderes, e Mimir, o mais sábio dos Aesires, para viver com os Vanires. 
Os Vanires ficaram desconfiados de Hoenir, acreditando que ele era menos capaz do que os Aesires disseram e percebendo que suas respostas eram menos autoritárias quando Mimir não estava presente para aconselhá-lo. 
Quando eles perceberam que haviam sido trapaceados, os Vanires cortaram a cabeça de Mimir e mandaram-na de volta aos Aesires. 
Odin conservou pela magia Seirdh a cabeça de Mimir viva em uma fonte, de onde ele podia consultar a sabedoria infinita de Mimir.


Aparentemente, os Aesires consideraram isto como um preço justo por terem enganado os Vanires, pois os dois lados permaneceram em paz. Com o passar do tempo, as duas raças foram se integrando e tornaram-se grandes aliadas. Após estabelecerem controle sobre Asgard, Odin criou o primeiro homem, Ask, de um freixo e a primeira mulher, Embla, de um olmo. 


Odin deu a cada um dos dois um espírito, Hoenir os presenteou  com seus cinco sentidos e a habilidade de se mover, e Lodur deu a eles vida e sangue.


A Criação
Gelo e fogo, foi assim que a vida começou. 

No sul existe um reino chamado Muspellheim.
Uma região de chamas bruxuleantes e grandes labaredas. 
Um local que fervilha e brilha. 
Ninguém é capaz de permanecer lá, a não ser os lá nascidos. 
O obscuro Surtor vive lá; sentado na região mais distante de Muspellheim, empunhando sua espada flamejante.

Ele já espera pelo fim, quando ele subjugará os deuses e devastará todo o mundo com fogo.

No norte existe um reino chamado Niflheim.


Ele está repleto de grandes colunas de gelo e coberto por vastas planícies de neve.

No coração desta terra está a fonte de Hvergelmir, e esta é a nascente dos onze rios chamados de os Elivagar: eles são o fresco Svol e Gunnthra o audacioso, Fjorm e o borbulhante Fimbulthul, o temido Slid e o violento Hrid, Sylg, Ylg, o grande Vid e Leipt que corre como o raio, e o gélido Gjoll.

Entre esses reinos havia um grande vazio; ele era Ginnungagap.
Os rios que nasciam em Hvergelmir corriam para dentro do vazio.
A água neles engrossou e congelou, e os rios se transformaram em gelo. Este gelo começou a pingar e logo formou-se uma geada dentro do vazio. E assim se tornou toda a parte norte de Ginnungagap, coberta de gelo, um lugar desolado assombrado por rajadas de vento.Enquanto a parte norte estava congelada, o sul estava derretido e ardente, mas o meio de Ginnungagap estava tão brando quanto o ar numa noite de verão.
Lá, o ar morno vindo de Muspellheim se encontrou com a geada de Niflheim. Eles se misturaram e o gelo derreteu. 
A vida rapidamente surgiu, e tomou a forma de um gigante.

Ele foi chamado de Ymir.

Ymir era um gigante do gelo; e ele era mal por natureza. Enquanto ele dormia, começou a suar. Um homem e uma mulher surgiram de uma poça sob sua axila esquerda, e uma de suas pernas deu a luz a um filho da outra perna.

Ymir é o pai de todos os gigantes do gelo, e eles o chamaram de Aurgelmir.O gelo em Ginnungagap se fundiu cada vez mais, e o fluido tomou a forma de uma vaca.
 Ela foi chamada Audumbla. 
Ymir se alimentou dos quatro rios de leite surgidos de suas tetas; e Audumbla se alimentou do gelo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos

Loading...