Stregheria,Stregoneria ou Bruxaria Italiana são os nomes dados a Velha Religião ( Vecchia Religione) da região da Itália. Culto Pagão com origens nos velhos Mistérios Etruscos e Egeus. A Stregheria é uma Religião que é formada por diversos Clãs. (Tradições ou Familias), na maioria segue uma linhagem Hereditária e Oculta. O culto Streghe é diverso, mas segue principalmente os ensinamentos da Prima Streghe( Arádia ou Heródia).
A Deusa Diana e o Deus Cornifero Dianus Lucifero.

Total de visualizações de página

Bruxo Callegari - TV Espelho Mágico

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Bastet a Deusa Gato


Eu tenho estudado muitos filósofos e muitos gatos. A sabedoria dos gatos é infinitamente superior."Hippolyte Taine

Os gatos foram os protagonistas dos mitos, lendas de todo o mundo. Alguns os adoravam , alguns já os condenaram, e muitas pessoas hoje são os adoram novamente, embora talvez não com o fervor sagrado dos antigos egípcios.
                                  Ninguém o representa tão bem como a deusa egípcia Bastet.



Na mitologia Egípcia, Bastet, Bast,Ubasti,Ba-em-Aset ou Ailuros (palavra grega para "gato") é uma divindade solar e deusa da fertilidade, além de protetora das mulheres grávidas. Também tinha o poder sobre os eclipses solares. Na era grega foi considerada uma deusa de poder lunar.
A deusa está presente no panteão desde a época da II dinastia. 
Era representada como uma mulher com cabeça de gato, que tinha na mão o sistro, instrumento musical sagrado.Tinha habitualmente na orelha esquerda um grande brinco em forma de argola de ouro, bem como um colar e um cesto onde colocava as suas crias. Podia também ser representada somente como um simples gato.



Tudo começou no Egito Antigo ... 
..., quando os egípcios começaram a identificar os leões que vagavam em torno de sua terra com o sol. Eles acreditavam que ao pôr do sol, Rá, deus do sol, iria morrer e descer através do submundo, no Ocidente, para nascer de novo no Oriente, ao amanhecer. Durante a noite, porém Ra era sempre em grande perigo, como seus inimigos, encabeçada pelo Apophis grande serpente não hesitará em atacá-lo, pondo todo o Universo em perigo.

No entanto, os leões ficariam até o pôr do sol, e mantinham os seus raios em seus olhos, para eles, como os felinos domésticos, têm os olhos que refletem no escuro. Com esse fogo queimando em seus olhos, os leões iriam adiante e matando as serpentes da noite. O gato doméstico foi criado nos templos da Terra Negra (Kemet, O nome aplicado pelos antigos egípcios ao seu país).

Com a imagem do leão em mente, dos egípcios construíram a Esfinge, uma enorme efígie do deus do sol, com o corpo de um leão e a cabeça de um faraó, e eles também adoraram a deusa Sekhmet.  
Que com a cabeça de um leão (ver foto) foi a deusa da guerra, que desceu à Terra para destruir os inimigos de Rá, e era conhecida como o Olho furioso de Ra. Entre a lista de deusa felina egípcia encontramos Mau. Uma personificação de Ra como um gato (Mau sendo a palavra egípcia para o gato); Tefnut. era uma deusa cujo nome significava Umidade e representava uma das forças mais primitivas da criação, e Mafdet. Uma deusa da proteção. Ambas com poder de soltar a fúria de Sekmet e das serpentes. Em um período egípcio arcaico que refere as serpentes, a proteção dos Mafdet é invocado: "O Cobra, eu sou a chama que brilha sobre as sobrancelhas do Caos-deuses da Norma de anos. Vai-te de mim, porque eu sou Mafdet!

O o gato doméstico foi especificamente referido estar sob a proteção da deusa 
Bastet.  Sekhmet era a filha de Ra, e ela era o protetora dos gatos e de quem cuidasse de gatos; seus dons eram alegria e prazer. Seu culto estava centrado na cidade de Bubastis (chamado Per-Bast, Ou Casa de Bast, pelos egípcios), onde,  seu templo estava. O historiador grego, Heródoto, disse "Não há nenhum templo mais bonito do que o de Bubastis". Bubastis também abrigava um necrópole, onde centenas de gatos mumificados eram enterrados.

Ela também tinha um festival anual, que parece ter sido um dos mais populares em todo o Egito, acompanhada por música alta e cantando. Ela é muitas vezes representada como uma mulher com uma cabeça de gato, ou como um gato. O significado de Bastet só pode ser entendida comparando-a Sekhmet. De fato, há evidências de que os egípcios a entendiam como dois aspectos da mesma força divina  Sekhmet sendo o aspecto violento e irada do sol divino, e Bastet sendo o seu aspecto mais delicado e sereno como a lua. Percebendo que os gatos são animais mais ativos a noite e sempre olham para a lua.

No entanto, enquanto Bastet está crescendo em popularidade recentemente,deve ser lembrado que deuses egípcios não eram nada sem o seu lado macabro. Em uma lenda egípcia, que fala sobre a busca da Livro de Thoth. Um dos personagens é uma misteriosa sedutora que é uma sacerdotisa de Bastet.

Seduz ao príncipe Set -na , dizendo-lhe: 'Seja alegre, doce, meu Senhor, porque eu sou destinada a ser sua noiva. Mas lembre-se que não sou mulher comum, mas uma filha de Bastet, a Bela , e eu não posso suportar uma rival. Então, antes de sermos noivos escreva uma carta de divórcio contra sua esposa atual, e escreva também ordens contra ela e seus filhos para que sejam mortos e jogado para baixo, para alimentarem os gatos de Bastet. Por que não posso suportar  que eles possam viver e um dia talvez a tramar o mal contra as nossas crianças. "  
A citação acima também elucida um conceito popular entre mulheres egípcias, onde parece ter sido a de que o ideal de "beleza" era a de se parecer com um gato. A maquiagem que  usaram tinham acentuadas características particulares, especialmente os olhos, o que lhes davam um misterioso olhar como o de um felino.  

Muitas vezes as crianças foram consagrados a Bastet, era feito uma picada em seu braço e gotas de sangue derramadas em um gato. Um caixão de mármore de um gato real se refere ao mesmo em inscrições que continha no seu interior uma "Lady Gato". Se um homem que matasse um gato, mesmo que acidentalmente, era morto, e quando um gato morria, os proprietários raspavam as sobrancelhas em sinal de luto. Na tumba de Tutankhamon, a imagem de uma serena Bastet foi encontrada perto do caixão real. Um dos descobridores do túmulo de Tutankhamon, Lord Carnarvon, se diz ter se interessado em Egiptologia após a descoberta de um caixão de gato.

Com o aumento no comércio internacional com o Egito Antigo, especialmente por fenícios e romanos, os gatos se espalharam para outras terras, do Egito e para a Europa e Ásia. Nesses países, os gatos têm suas próprias histórias também. Entretanto, os gatos domésticos no Egito ainda são altamente respeitada, pois naquela terra, os laços entre gato e humano é eterno , com gatos andando entre as ruas no mercado local, onde até hoje, as imagens de Bastet ainda estão sendo oferecidos aos turistas, como devem ter sido oferecido uma vez, tempos atrás, aos peregrinos, que teriam ido à festa anual de Bastet!
Existe uma confusão com com Sekhmet, adquirindo neste caso o aspecto feroz de leoa. 
Certa vez, ordenou a Sekhmet que castigasse a humanidade por causa de sua desobediência extrema e crueldade. A deusa, que é representada com cabeça de leoa, executou a tarefa com tamanha fúria que o deus Rá precisou embebedá-la com muita cerveja para que ela não acabasse exterminando toda a humanidade. O que acabou originando a face serena da deusa Bastet com cabeça de gato .
Bastet foi a esposa de Ptah, com quem foi mãe de Nefertum e Mihos. A esta deusa é tradicionalmente consagrado homenagens no dia 15 de abril.

O seu centro de culto estava na belíssima cidade de Bubastis, na região oriental do Delta do Nilo. Nos seus templos foram criados gatos que eram considerados como encarnação da própria deusa e que eram por essa razão tratados como divindades. Quando estes animais morriam eram mumificados, sendo enterrados em locais reservados para eles na necrópole de Bubastis.



Callegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos

Loading...