Stregheria,Stregoneria ou Bruxaria Italiana são os nomes dados a Velha Religião ( Vecchia Religione) da região da Itália. Culto Pagão com origens nos velhos Mistérios Etruscos e Egeus. A Stregheria é uma Religião que é formada por diversos Clãs. (Tradições ou Familias), na maioria segue uma linhagem Hereditária e Oculta. O culto Streghe é diverso, mas segue principalmente os ensinamentos da Prima Streghe( Arádia ou Heródia).
A Deusa Diana e o Deus Cornifero Dianus Lucifero.

Total de visualizações de página

Bruxo Callegari - TV Espelho Mágico

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

A Origem dos "Streghe" (Bruxos).


"Streghe" (Bruxas na tradição italiana) da Antiga Religião das Bruxas ou "Vecchia Religione" os maiores ocultista que já existiram foram os "etruscos". A Etrúria foi berço para a civilização Romana.
Os etruscos foram incríveis "Streghe"dominavam a magia e suas artes como poucos povos conseguiram. O simbolo da Etrúria era a uma "Loba ", por iso a imagem de "Rômulo e Rêmo" que mamavam na loba. Demonstrando simbolizar que os pais da futura Roma, vinham da descendencia do povo etrusco. As bases para bruxaria na Itália foram firmadas a partir das gerações seguintes.
 A Etrúria que ficava banhada pelo mar Egeu, outra fonte de mistérios e vida.


  Os etruscos surgiram 1000a.C. mesclaram as influências micênicas.
Os etruscos foram os herdeiros dos mistérios do culto neolítico da Grande Deusa na antiga Europa. Mais tarde, esses mistérios seriam as bases de muitas práticas e credos da Bruxaria européia.
De modo geral,com o advento dos estruscos começou a história italiana como a conhecemos.


O imperador romano Cláudio I escreveu em grego vinte livros sobre a história etrusca sua primeira esposa, Plautina Urgulanila, tinha sangue etrusco e antigas conexões familiares que eram muito fortes; assim,ela colocou Cláudio em contato com autênticas tradições etruscas.
Em sua política religiosa, Cláudio respeitava a antiga tradição e fez reviver as velhas cerimônias religiosas de Roma, que estavam em declínio.
Durante seu reinado, Cláudio estabeleceu leis que protegiam os " haruspices" (adivinhadores) e convenceu o Senado romano a criar uma bíblioteca para guardar vários escritos da antiga religião etrusca.
 Também preservados nessa bíblioteca estavam os escritos místicos etruscos conhecidos como livros síblilinos - Os três lendários livros de profecia vendidos ao rei etrusco Tarquínio pela mistica bruxa "Sibila de Cumae". Os livros sibílinos eram consultados pelo Senado de Roma em todos os assuntos de grande importância; o imperador Augusto, em 18a.C., possuía até uma cópia adicional deles como proteção,caso fossem perdidos.

 Sob reinado do Imperador Honório (395-423d.C.), o Magister Militum (Stilicho) mandou queimar esses livros, dizendo que eram textos heréticos ofensivos ao Cristianaismo, junto com toda a bíblioteca de textos etruscos sobre a religião,mágica e advinhação.Os vinte livros escritos por Cláudio também foram destruídos. Os historiadores antigos afirmam que os etruscos eram os mais famosos ocultistas que o mundo já conheceu e, agora todo seu saber foi perdido para sempre no fogo da igreja cristã primitiva.
Quando se da conta que os etruscos foram os herdeiros diretos do culto neolítico da Grande Deusa, a perda é uma tragédia absurda.

Valdir Callegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos

Loading...