Stregheria,Stregoneria ou Bruxaria Italiana são os nomes dados a Velha Religião ( Vecchia Religione) da região da Itália. Culto Pagão com origens nos velhos Mistérios Etruscos e Egeus. A Stregheria é uma Religião que é formada por diversos Clãs. (Tradições ou Familias), na maioria segue uma linhagem Hereditária e Oculta. O culto Streghe é diverso, mas segue principalmente os ensinamentos da Prima Streghe( Arádia ou Heródia).
A Deusa Diana e o Deus Cornifero Dianus Lucifero.

Total de visualizações de página

Bruxo Callegari - TV Espelho Mágico

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Reflexão aos mais jovens!


Reflexão aos mais jovens!

A maioria dos mais jovens de hoje acreditam, que sua sabedoria é superior ou se iguala a dos mais velhos. 
Sim, é uma verdade. Mas assim como os adolescentes que acham que já sabem tudo da vida, perto dos seus 15 anos ou menos. Observemos que existe o saber e o experienciar.
Aqueles que já passaram por mais da metade de suas vidas, perto ou acima dos 50 anos, sabe muito bem sobre o peso imenso que tem esse experienciar.
O saber todos alcançam, o experienciar somente com o passar dos longos anos.
É o viver na pele as mais diversas situações que a vida nos lança ao caminho.
O experienciar são as lições "vividas", bem além dos livros e textos de internet. Ou mesmo de formações acadêmicas.
São geradaselo passar dos anos, pelo conhecer das pessoas e situações, reais e não, as teóricas. 

Onde a juventude tem vigor e ímpetos de questionadores corretíssimos , os reformadores do mundo e da sociedade.
A idade nos concede a sabedoria do experienciar, e a paciência do saber esperar.
A maturidade mental , só se concretiza com a vivência, com o passar repetido e cansativo dos longos anos.
Ou então Cronos seria um belo jovem. 

E a anciã seria sempre a donzela.
São longos caminhos, que não se fazem, sem todos os tempos da vida. Passado, presente e futuro.



Callegari

sábado, 7 de setembro de 2013

Carregando o Peso dos Dogmas





Carregando o Peso dos Dogmas




Dogma é um termo de origem grega que significa “o que se pensa é verdade”. 


Na antiguidade, o termo estava ligado ao que parecia ser uma crença ou convicção, um pensamento firme ou doutrina.

Posteriormente 
passou a ter um fundamento religiosos em que determinado ponto em uma doutrina é dado como indiscutível, inquestionável, uma verdade absoluta que deve ser ensinada com autoridade. Além do cristianismo, os dogmas estão presentes em outras religiões como a do judaísmo, islamismo e se estendido a outras, praticamente todas as religiões tem dogmas.


Os princípios dogmáticos são crenças básicas pregadas pelas religiões, que devem ser seguidas e respeitadas pelos seus membros sem nenhuma dúvida. Não podem ser questionadas de forma alguma.


Quem rejeita pode incorrer em crimes variáveis de acordo com a religião que segue. Na Igreja Católica o crime de heresia aconteceu no período da Idade Média, em que as pessoas acusadas eram excomungadas ou perseguidas através da Inquisição.
Os dogmas principalmente os proclamados pela Igreja Católica e Evangélica devem ser aceitos como verdades reveladas por Deus através da Bíblia. São irrevogáveis e nenhum membro da Igreja, nem mesmo o Papa, ou a autoridade superior da religião, tem autoridade para alterar. 

São exemplos de dogmas; a Existência de Deus e da Santíssima Trindade,
Jesus Cristo é Filho Natural de Deus, a Virgindade e Assunção de Maria, entre outros.

 Não estamos mais vivendo cronologicamente na idade média, mas teoricamente parece que, sim!
Visto inúmeros casos de perseguição, por pensamentos posturas religiosas diferentes dos dogmas que já foram embutido nas mentes humanas durante séculos, onde desde pequenos pais, familiares, professores de religião, a mídia e outros, vão gravando no seu subconsciente. Quando em determinado ponto de sua vida, você consegue parar para repensar sobre dogmas, você observa o quanto é difícil se livrar deles.
Mesmo que ele não pertença mais a sua fé ou religiosidade atual, alguns ainda tem um ranço
 de crises do passado delas, dentro de si.
Ele é ainda como a pesada cruz, que o ícone religioso “Jesus Cristo” carregou sobre as costas. 
Será que algum dia essas pessoas conseguirão viver , um pouco além dos dogmas?
Porque eles tem sido como fantasmas, que ainda perseguem muitas mentes.
Que são considerados de crimes de heresia a pecados mortais para a eternidade da alma.
Os considerados “pecados”, são prisões da alma que prendem os homens nos laços da culpa! 

A multidão de símbolos e ícones religiosos que inundam o mundo, e já fizeram a sua imigração por diversas culturas, foram readaptados para necessidades de determinados cultos locais. São considerados a própria materialização da religião ou divindade por muitos.
Quando na verdade deveriam ser apenas, memórias, instrumentos simbólicos de histórias e representações de cultos antigos. 

Onde as culturas por exemplo, como as africanas, não tinha uma forma de escrita a representavam através da oralidade, arte e desenhos simbólicos. Diferenciavam os clãs e tribos através de tatuagens no rosto, para sua identificação cultural. 
Deuses são formas de energia, são as forças da natureza universal, são espíritos que não possuem corpos físicos. 
Energias que foram humanizadas, por filósofos, mitos e lendas, para a compreensão e adoração da visual da humanidade.
Visto a multidão de deuses e deusas que existem em várias culturas, e que se formos pesquisar são na verdade o mesmo deus e deusa, em várias manifestações iconograficas totalmente diferentes.
Transformar uma religião em um ícone ou divindade ou até mesmo um ser humano. 

Foi a forma encontrada pela humanidade para tentar explicar essas manifestações. 
Quando desdobramos partes de deuses, exemplos como Baphomet, Shiva ,Ganesha, Hekate e outros, percebemos que cada parte do seu corpo, representa uma forma de simbologia ou de um ensinamento esotérico, bem mais profundo.
Procuremos não radicalizar ou exagerar, mas ser racionais na representação desses ícones religiosos. Porque estaremos apenas, brigando com nossos dogmas interiores e anteriores, quer possamos assumir, ou não? 

Eles ainda são muito fortes dentro da psiquê humana.
Conversando sobre o assunto com alguns pagãos, eles comentaram que ainda lutam para retirar ou banir esses dogmas de suas mentes.
Motivo creio eu, pelo qual existe na iniciação em alguns ritos da bruxaria, a morte simbólica.
Porque se não morrermos simbolicamente, nunca poderemos “ matar realmente”, os dogmas que por gerações nos foram passados. E renascer sem eles.Podemos seguir novos dogmas, mas sem arrastar os antigos junto.
Tudo no universo astral ou espiritual faz parte de “Mara” a ilusão da mente, não sejamos iludidos ainda por meros dogmas.
A bruxaria sempre procurou se libertar dos dogmas das outras religiões, e criar uma religião com dogmas próprios,mas de forma mais  livres. 

Repense os conceitos dos ícones, dos símbolos , das imagens humanas das divindades. Porque sabemos que eles fazem parte apenas, de uma representação para a mente humana.
Na verdade seria muito difícil descrever uma divindade, sendo que a maioria delas foi esculpida ou desenhada por artistas da antiguidade, e cada um deles sem dúvidas, foi acrescentando ainda que “inconscientemente”, um pouco do seus dogmas a elas.
Assim como filósofos e magistas, criaram sobre essas figuras e ícones, seus próprios sistemas de magismo. 

O bruxo(a) deve procurar se libertar dos dogmas de outras religiões, principalmente daqueles que impõem a relatividade entre o bem e do mal, do sagrado e do profano.
E da iconografia que foi criada por mãos e mentes humanas, e não divinas.
A natureza nos deu vários símbolos em “achiropita “ ( não feitos por mãos), estes sim, tem uma grande força divina, e as forças divinas sempre regeram a liberdade da mente e das escolhas humanas, e nos deram a Lei Maior do Livre Arbitrem.


Valdir Callegari

Vídeos

Loading...